segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Lua de Mel - Cambodia - Templos

Embarcamos no dia 20 de Janeiro, já em modo três. A Lia ia na minha barriga, com cerca de 10 semanas. Ninguém sabia.

 Cerca de 7 horinhas (salvo erro) de Amesterdão até ao Dubai. E novo embarque até Bangkok. Desta feita em business classe, à conta do voo estar completamente cheio e nós termos sido os últimos a embarcar. Caramba que faz mesmo mesmo diferença a qualidade do voo. soube a pouco. Nestas condições podia viajar 30h seguidas que não me importava nem um bocadinho.

Cegamos a Bangkok, cerca de 6 horas depois e com um atraso de 45m, quase perdemos o voo para Siem Reap (Cambodia). Quase, não fosse um simpático funcionário do aeroporto que correu connosco metade do aeroporto (que não é pequeno, vos garanto) para nós levar direitinho à porta de embarque.
Senhores, grávida, com umas 13 horas de voo em cima, a correr daquela maneira, não sei como é que a Lia hoje está aqui. Deus me valha. Chegados à porta de embarque (já toda a gente à nossa espera) dizem-nos que embarcamos se quisermos, mas as malas não seguiam. Olhamos um para o outro e eu a pensar que dava tudo para chegar ao hotel, tomar um bom banho e vestir uma roupinha lavada. Esquece lá isso e que se lixe. Siga!!! E nós seguimos.
Chegados a Siem Reap e graças a uma Epifania minha sugeri que pelo sim, pelo não fôssemos ao carrossel confirmar se as malas seguiram ou não.  E não é que seguiram, as maganas estavam ali!!!! E foi por uma unha negra que nós decidimos embarcar sem elas. Sorte!

--- CAMBODIA ---

O Cambodia é absolutamente fantástico. Um país onde a pobreza é bem visível, as infraestruturas são escassas e a simpatia/amabilidade das pessoas é única. 
Quando chegamos ao aeroporto, ao balcão, para pedir o visto reparei que os homens tinham as unhas bem compridas (e até sujas). O Gerben explicou-me depois que é umas das coisas que separa a classe baixa, das pessoas que trabalham na terra, agricultura, nomeadamente plantações de arroz, da classe média, que trabalha nos serviços. O que é um orgulho, não ter que gastar as unhas na terra. 
No Cambodia ficamos 5 dias, 3 dias para conhecer aquele que é considerado o maior complexo religioso do mundo, Angkor Wat...soberbo. 
"Angkor Wat é um templo situado 5,5 km a norte da atual Siem Reap, no Camboja. É o maior e mais bem preservado templo dos que integram o assentamento de Angkor. É também o único que restou com importante significado religioso - inicialmente hindu, e depois Budista - desde a sua fundação. O templo é o ponto máximo do estilo clássico da arquitetura Khmer. É considerado como a maior estrutura religiosa alguma vez construída, e um dos tesouros arqueológicos mais importantes do mundo." (wikipedia).
Um dia para conhecer e "navegar" no imenso lago Tonle Sap e outro para conhecer a cidade, Siem Reap. 
Para isto tudo nada melhor que o Tuc Tuc. Nós contratamos os serviços do Mr. Ty Pheng, que recomendo vivamente. Um senhor super simpático que nos levou a todo o lado. 
  











Uma coisa posso garantir, os templos são tantos e tão bonitos que é impossível eleger o melhor, mas o templo das mulheres ficou-me no meu coração. Infelizmente não tenho fotos porque graças às experiências do meu marido com a câmera, perdemos um dia e meio de fotografias :( 
o nosso motorista, o melhor, Mr Ty Pheng

Continua...

1 comentário:

  1. Estou a adorar o teu relato. Continua...

    www.viajarso.blogspot.com

    ResponderEliminar